Carregando...

Conan da Ciméria - Daemon

Nas colinas e montanhas nórdicas, em uma terra chamada Cimérica, os então chamados bárbaros viveram e sobreviveram em um clima praticamente inabitável. Eles eram chamdos bárbaros pelas terras do sul, cujos habitantes os viam como ignorantes, brutos e incultos. Contudo, os cimérios foram subestimados pelas “civilizações” do mundo hiboriano. Seus líderes não se vestiam com robes dourados, mas com peles de urso. 
Ficha de Conan da Ciméria para o sistema Daemon
Ficha de Conan da Ciméria para o sistema Daemon.

O Poder não era comedido pela riqueza, mas pela honra do nome e da força de um clã. Um destes clãs cimérios estava invadindo um acampamento vanir, há muitos anos atrás. Crom estava achando agradável assistir a batalha, vendo a terra ficar encharcada com o sangue cimério e vanir. Foi durante esta guerra que uma mulher deu a luz a uma criança. Um bebê que nasceu em um campo de batalha, o qual foi chamado de Conan. Crom ficou feliz em ver a criança nascer em um lugar tão honroso. Conan cresceu e se tornou forte e feroz, dono de uma coragem que parecia fluir em suas veias no lugar do sangue. 

Ainda muito jovem, ele era conhecido e respeitado pelos patriarcas do clã. Durante a adolescência, foi feito prisioneiro em uma invasão à Aesir, porém conseguiu escapar mais tarde, enquanto era levado como escravo para as terras do sul. Sua sede por aventuras o impediu de retornar para casa, e Conan decidiu conhecer as terras quentes das quais sempre ouvira os anciões contarem histórias. Conan passou muitos anos como um ladrão em Zamora e Nemédia. 

Ele sobreviveu com o ouro escasso que o submundo oferecia a ele. Conan foi ladrão em seus primeiros anos de contato com a civilização. Averso à lei por natureza, ele era mais audaz do que habilidoso no desempenho da nobre arte de roubar, mas conseguiu sobreviver precariamente durante algum tempo em Zamora - e cercanias - e em Coríntia. Quando se cansou daquela vida precária, ele alistou-se no exército de Turan, leste de Zamora. Neste momento ele apura ainda mais suas técnicas com arco-e-flecha e de equitação, além de tornar-se proficiente nas armas nativas daqueles povos. Depois de abandonar o Exército de Turanian devido a um caso não confirmado com a mulher do oficial comandante, ele buscou riqueza e afama no oeste e no mar. 

Quando ele foi capturado pela mulher que seria o seu primeiro verdadeiro amor, Bêlit, a Rainha da Costa Negra. Os dois formaram o casal mais aterrorizante que a Costa Negra já vira, e juntos invadiram muitos navios e cidades litorâneas. Foi, também, durante esta época que Conan ganhou o nome “Amra” (que significava Leão entre as tribos que viviam ao longo da Costa Negra), após derrotar um lendário guerreiro para salvar sua amada Bêlit. 

Quando sua paixão morreu, Conan voltou a trabalhar como um mercenário para exércitos e reinos de diversas bandeiras. Ele foi conhecido pela a ferocidade que possuía em batalha e lealdade devota para com seus camaradas, como por exemplo pode ser percebido durante as aventuras do Cimério em companhia de Juma. Honra e terror seguiram o bárbaro pelas terras civilizadas como uma sombra que cobria a Terra. Conan teve muitas aventura e fez muitos aliados, bem como inimigos mortais. O pior deles, com certeza, era Thoth Amon, o mais maligno feiticeiro que já foi concebido nas terras da Stygia. Mas logo, o destino de Conan lhe permitiu que conduzisse uma revolta contra o Rei Numedides na Aquilônia, a qual já tivera a possibilidade de ter mantido Conan em seus calabouços. 

Conan não apenas despôs o tirano, como ainda conquistou sua coroa e cumpriu seu sonho de tornar-se Rei. Porém, este não é o fim da sua história. Pelo contrário. É apenas o começo das lendas e rumores sobre o bárbaro que conquistou o mundo de sua era, com a coragem de um leão, a força de um titã e a vontade de um rei.

Conan da Ciméria - Guerreiro do 20º Nível/Ladrão do 8º Nível
CON 25, FR 26, DEX 22, AGI 20 INT 15, WILL 20, PER 25, CAR 15 
PVs 54, Pontos Heróicos: 96, IP variável. Possui 3D de proteção contra magias. 
Ataques [3]: Espada Bastarda 200/200 (dano 1d10+10), Espada Curta 180/180 (dano 1d6+10), Machado de Combate 180/180 (dano 1d10+10), Arco Longo 150/0 (dano 1d8), Briga 160/160 (dano 1d4+6). 
Perícias Principais: Montaria 80%, Armadilhas 80%, Escapismo 85%, Ferreiro 40%, Armeiro 30%, Avaliação de Objetos 70%, Teologia 50%, Acrobacia 90%, Salto 80%, Natação 90%, Furtar 70%, Furtividade 80%, Intimidação 100%, Lábia 80%, Interrogatório 90%, Empatia 80%, Navegação 95%, Táticas de Guerra 90%, Barganha 70%, Rastreio 80%, Escudo 80%, Sobrevivência (todos) 70%, Manobras de Combate (todas).
Reações: 
Fichas 9079512038008593560

Postar um comentário

emo-but-icon

Página inicial item

Curta nossa página

Publicidade

Top 10 da semana

Posts sorteados

Arquivos do Help RPG